Por que o desfile de alta costura da Chanel em Paris é exatamente o escapismo de que precisamos agora